29 de out de 2006

Calma, calma...

Calma, calma: não há motivo para desespero.
Uma vitória do PT tem seus pontos positivos...

Depressão mata, e não tenho planos imediatos de me mudar definitivamente de endereço. Mas como não ficar deprimida lendo o noticiário, assistindo aos debates e, sobretudo, escutando as ficções e meias-verdades do pai do Ronaldinho das Telecomunicações? Antes de perder de vez a esperança, fui trocar dois dedos de prosa com a Sábia Coruja das Highlands, que sempre tem uma visão otimista do mundo e uma palavra de consolo para os aflitos.

- Você já pensou no que vai ser isso?! - perguntei.
- Mais quatro anos de crimes e maracutaias, com pleno aval do eleitorado?!

- É, - assentiu a Sábia Coruja. - Bonito não vai ser não. O governo vai interpretar a reeleição como uma indulgência plenária, uma procuração popular para a compra e venda de deputados, dossiês e o que mais for necessário à sua permanência no poder. E o pior é que não estará longe da verdade.

- Não sei mais o que pensar, - desabafei. - Tenho amigos corretos e honestos, gente direita mesmo, incapaz de roubar uma caixa de fósforos, que vai votar no Lula. Tenho amigos inteligentes e vividos, que sabem como é difícil ganhar a vida, que vão votar nele apesar das quantias obscenas de dinheiro que circulam ao seu redor; eles não demonstram indignação sequer quando digo que, para ganhar o que o Lulinha Fenômeno levou da Telemar, um trabalhador que vive de salário mínimo teria que passar mais de 1,2 mil anos trabalhando, sem gastar um centavo... Repara, mais de um milênio!!! Mas eles acham que está tudo certo, que é assim mesmo.

- Bom, - obtemperou a Sábia Coruja. - Pode ser que acreditem na palavra do pai, quando diz que o rapaz tem talento.

- Mas como é que alguém pode acreditar nisso, em sã consciência?! - explodi. - Talento é uma coisa, cinco milhões e duzentos mil reais são outra. Imagina, cinco milhões e duzentas mil notas de um real, uma em cima da outra... Mesmo que eu soubesse calcular direito, e que soubesse como se fazem esses cálculos, não conseguiria imaginar o tamanho de tal montanha de dinheiro!

- Ué, mas eles não acreditam no Lula quando ele diz que não sabia de nada?

- Acreditam.

- Então? Quem acredita nisso acredita em qualquer coisa, ora.

- Tem razão. Quero um uísque duplo!

- Não adianta, você não bebe.

- Tem razão. Quero um chocolate!

- Você não está de dieta?

- Estou, tem razão.

- A única coisa que você pode querer é que os próximos quatro anos passem rápido; mas não recomendo. A vida é curta demais para que a gente se deixe abater por coisas que estão fora do nosso universo emocional imediato. Por outro lado, uma possível vitória do PT não deixa de ter seus pontos positivos...

Ahá! Eu sabia que a Sábia Coruja das Highlands não me deixaria na mão.

- Jura?! Você não está dizendo isso só para me consolar, está?

- Não, claro que não. Nos últimos anos o mundo inteiro passou por um ciclo de prosperidade. O Lula pegou um país estabilizado, na medida do possível, considerando-se as crises internacionais que o FhC teve que enfrentar. Por mais que ele fale da "herança maldita", a verdade é que tentou seguir a mesma política econômica. Ficamos na lanterninha da onda de crescimento mundial, mas pelo menos crescemos alguma coisa. Só que ciclos virtuosos não duram para sempre. O próximo presidente, quem quer que seja, vai, provavelmente, encontrar um período menos risonho na economia mundial. E, como se não bastasse, tendo que enfrentar as conseqüências da péssima administração do PT. Já se sabe que o orçamento para o ano que vem não fecha se o governo não reduzir os gastos em pelo menos cinco bilhões. Ou, mais provavelmente, se não esfolar a população em mais cinco bilhões. Agora ponha-se no lugar de qualquer candidato: você gostaria de pegar um abacaxi desses? A máquina inchada a mais não poder, uma crise sem precedentes pronta a estourar na Previdência... Se o Alckmin ganha a eleição, ainda leva de quebra a oposição sistemática, hidrófoba e antipatriótica do PT. Com um detalhe perverso: a população em geral, que não entende nada de economia, vai repetir, até o fim dos tempos, que o Lula sim, é que sabia governar. Ora, o que ganha o PSDB tirando as castanhas do fogo para o PT?

- Hmmm... Eu não tinha pensado nas coisas sob este aspecto.

- Pois pense, - disse a Sábia Coruja. - Até aqui, o Lula nunca teve o menor pudor em culpar o FhC por tudo o que há de errado no país. Agora já disse, reiteradas vezes, que o país está "prontinho para crescer"; pois vamos ver, então, como se vira com a maravilha que criou.

- É, só que é o país da gente, caramba! Você acha que o Brasil sobrevive a mais quatro anos dessa corrupção desenfreada?

- Sobrevive,como não? - sorriu a Sábia Coruja. - Se você tivesse visto a devastação da guerra na Europa... Ali sim, a gente ainda podia imaginar que nada nem ninguém sobreviveria; no entanto, veja a Europa de hoje...

- E você acha que a nova turma do Lula não vai cobrar a fatura? Ou que a turma antiga não vai cobrar os sacrifícios e bodes expiatórios? Você acha que o Jader Barbalho, por exemplo, vai deixar no barato?

- Claro que não. Exigirá pelo menos mais um ranário para a mulher. Mas o Brasil, felizmente, é maior do que a fenda no abismo. Bem maior.
Cora Rónai, O Globo, Segundo Caderno, 26.10.2006

O Brasil é Ruim. Irá Piorar

"O Brasil é ruim. Irá piorar.

Eu sempre acreditei nisso. Acredito cada vez mais. O Brasil já era ruim antes de Lula. Com ele ficou ainda pior. Ninguém conseguiu evidenciar nossa ruindade com tanta clareza quanto ele. E ninguém deu tanta garantia de que tudo iria piorar.

O homem certo para este momento é Henry David Thoreau. Leia Thoreau. Releia Thoreau. Declame Thoreau em voz alta. É o melhor remédio para todos aqueles que foram atropelados pelo lulismo triunfante.

Thoreau era um abolicionista americano. Ele rejeitava a escravidão embora a maioria dos eleitores de seu tempo a apoiasse. Em seu principal ensaio, Sobre o Dever da Desobediência Civil, ele argumentou que há algo superior à vontade da maioria: é a moral de cada um. "Minha única obrigação é fazer em todos os momentos o que considero certo."

Mas recomendo Thoreau por outro motivo. Um motivo menor. Um motivo mais mesquinho. Recomendo-o apenas porque ele permite insultar pesadamente o eleitor mantendo uma certa pompa, um certo brilho. Thoreau disse: o eleitor é um cavalo. Ele disse também: o eleitor é um cachorro. Eu repito, citando Thoreau: o eleitor é um cavalo, o eleitor é um cachorro, o eleitor é um cavalo, o eleitor é um cachorro, o eleitor é um cavalo, o eleitor é um cachorro. Insulte o eleitor. Sem perder a pompa, sem perder o brilho.

Thoreau: Cavalo. Cachorro.

Thoreau defendeu o direito de repudiar a autoridade do governo. Eu sou o Thoreau dos pobres. O Thoreau bananeiro. Repudio a autoridade de Lula. Lula pode ser o seu presidente. Meu ele não é. Meu senso de moralidade é superior ao dele. Lula é o chefe de uma junta de golpistas. Referendá-lo significa referendar o golpismo. Cassei sua candidatura um ano e meio atrás. Unilateralmente. Ele que fique com seus doleiros, com seus laranjas, com seus lobistas, com seus assessores, com seus jornalistas, com seus mensaleiros, com seus filhos, com seus gorilas, com seus bicheiros.

A forma que Thoreau encontrou para repudiar a autoridade do governo foi simples e direta: recusou-se a pagar impostos por seis anos. Chegou a ser preso por causa disso. Só foi solto porque uma tia saldou seus débitos. A revolta fiscal é o melhor meio de protesto que há. Muito melhor do que passeata. Muito melhor do que comício. Quem gosta de muita gente aglomerada é lulista. Prefiro me reunir com meu contador em seu escritório mofado, arrumando maneiras mais eficientes para burlar o Fisco. Falta somente uma tia rica para me tirar da cadeia.

O lulismo precisa de dinheiro para funcionar. Dinheiro limpo e dinheiro sujo. Meu terceiro turno será combater a CPMF. Eu sei que é um combate pouco heróico. Mas alguém realmente esperaria gestos heróicos de mim? Abolindo a CPMF, sobrará menos dinheiro para financiar o golpismo lulista. E para comprar os eleitores.

Thoreau: Cavalo. Cachorro."
Diogo Mainardi, Veja edição 1980

Do blog do Ucho

Lufada Mitômana
Tomada por uma cegueira política burra e irresponsável, a militância petista consegue contemplar apenas os avanços do governo Lula que de fato inexistem. No final da noite desta quinta-feira, começou a circular pela rede mundial de computadores uma mensagem que trata da quebra da agricultura paulista pelo ex-governador Geraldo Alckmin. Como roubar se transformou em algo maior dentro do petismo, mentir certamente é um daqueles pequenos crimes de sacristia. Quem de fato quebrou o agronegócio foi Luiz Inácio Lula da Silva, ao virar as costas para o setor responsável pela maior fatia do superávit da balança comercial brasileira. Quem conhece a realidade do centro-oeste do País sabe que muitos empresários do agronegócio reduziram drasticamente a área plantada. E a mentira que os petistas ora plantam deve aparecer nos meados de 2007, quando a inflação da cadeia alimentar deixar o campo e desembarcar nas grandes cidades.
Copy&paste do Ucho - www.ucho.info/

28 de out de 2006

Dias da Semana

PORTUGUÊS

MITOLOGIA ROMANA

CASTELHANO

Domingo

Dominus - Deus do Sol

Domingo

Segunda-feira

Dies Lunae - Dia Sereno

Lunes

Terça-feira

Deusa da Guerra - Dia do Fogo

Martes

Quarta-feira

Mensageira da Chuva - Dia da Água

Miércoles

Quinta-feira

Flos - Dia das flores - da Natureza

Jueves

Sexta-feira

Dia do Ouro

Viernes

Sábado

Sabbata – Ceia - Terra Natal

Sábado

Onde Estamos

De 2005 para cá os presidentes do PT, PL, PTB e PP foram acusados e afastados ou perderam o mandato. O poderoso ministro chefe da casa civil foi demitido e cassado e acusado de chefe de quadrilha. Seu assessor mais importante foi demitido por corrupção demonstrada em vídeo. Todas as diretorias de poderosas empresas como Furnas, Correios, IRB, foram afastadas por denúncias de corrupção. A executiva do partido do presidente foi afastada por corrupção. O presidente da câmara de deputados, e os líderes do PT e do governo na câmara e no senado, foram afastados por denúncias de corrupção.

O ministro da fazenda foi demitido e responde a vários processos por corrupção em Ribeirão Preto e violação de conta bancária. O poderoso vice-presidente do mais importante fundo de pensão do Brasil - Previ/BB - do PT, foi afastado por corrupção. O ministro que mandava na propaganda do governo e nos fundos de pensão, foi afastado num quadro de corrupção. Um canal de corrupção entre agencia de publicidade, PT, governo, bancos e políticos da base do governo foi descoberto na mais ampla rede de corrupção política de que se tem noticia. O Ministério da Saúde, articulado com a casa civil, uma empresa privada e dezenas de parlamentares, criou um sistema de liberação de emenda com pagamento de propina.

A Caixa Econômica, bingos e a casa civil armaram licitação milionária e fraudulenta. Um carro Land Rover dado como compensação ao secretario geral do PT. Os cartões de crédito -secretos- da presidência, seus amigos e parentes, foram usados para gastos privados. O prefeito de Santo André foi, provavelmente, assassinado por caixa 2 do PT. A esposa do ex-prefeito de Campinas, do PT, diz que ele foi assassinado por razões políticas.

Telefônicas combinavam seus negócios no Planalto com interveniência do tesoureiro do PT e de uma agência de publicidade e repassaram para o filho do Presidente algo em torno de 15 milhões de reais através de operação escusa. O relator da CPI da evasão de divisas deputado do PT, mantinha relações espúrias com doleiros. A agência de publicidade que fez a campanha do presidente reconheceu publicamente que recebeu caixa 2 de campanha no exterior e continua com contas do governo federal.

A primeira dama, D. Marisa, a Galega, requere cidadania italiana e justifica dizendo: "é para garantir um futuro mais tranquilo para meus filhos"

O amigo do presidente pagou suas contas dizendo que o presidente não sabia. Depois o presidente disse que sabia. O sigilo do mesmo não foi aberto. E muito mais, que se sabe,... e que não se sabe.

Onde estamos? O que é isto?

6 de out de 2006

Dançarino ou Dirigente?

- Pedrinho qual a profissão de seu pai?
- Advogado, professora.
- E a do seu pai, Marianinha?
- Engenheiro.
- E o seu, Aninha?
- Ele Médico.
- E o seu pai, Juquinha, o que faz?
- Ele... Ele... Ele dançarino numa boate gay!
- Como assim? pergunta a professora, surpresa.
- Fessora, ele dança na boate vestido de mulher, com uma tanguinha minscula de lantejoulas, os homens passam a mão nele, põe dinheiro no elástico da tanguinha e depois saem para fazer programa com ele.


A professora rapidamente dispensa toda a classe, menos Juquinha.

Boquiaberta, ela caminha até o garoto e novamente pergunta:
- Menino, o seu pai realmente faz isso???
- Não fessora. Agora que a sala ta vazia, eu posso falar, eleé dirigente do PT, mas eu morro de vergonha de contar isso na frente dos outros.